Mulheres e Carreira

Mulheres e Carreira

Mulher, mãe, esposa, gestora do lar, profissional, elas estão com tudo!

Segundo dados do IBGE, a população brasileira ja ultrapassa  200 milhões de brasileiros, com a estimativa de 51% de mulheres. E ainda nos dados do IBGE de 2000, a PEA (População Economicamente Ativa) brasileira, em 2001, tinha uma média de escolaridade de 6,1 anos, sendo que a escolaridade média das mulheres era de 7,3 anos e a dos homens de 6,3 anos. A participação feminina cresce proporcionalmente à escolaridade: entre os empregados analfabetos, elas são 12,5%; entre os com ensino superior completo, 58,53%.

O que fica óbvio é que, as pessoas com maior nível de escolaridade tem mais chances e oportunidades de inclusão profissional. Os estudos recentes, mostram que a mulher tem tido uma inserção maior no mercado de trabalho, percebe-se uma significativa melhora entre as diferenças salariais quando comparadas aos homens.

A mulher possui grandes habilidades em seu comportamento cotidiano que tem ajudado em seu desenvolvimento dentro do ambiente profissional: intuitivas, determinadas, sabem tomar decisões rápidas e a maioria consegue se posicionar e impor seu ponto de vista sempre que necessário.

Elas procuram manter relações saudáveis e próximas com seus subordinados e, quando estão no comando, usam a palavra certa, no momento certo, percebem quando alguém da equipe está com problemas e busca ajudar, orientar.

Tudo isso não significa que as mulheres são melhores ou mais competentes que os homens, uma política ideal dentro do mundo corporativo é uma junção equilibrada entre homens e mulheres. No entanto esse aumento da participação feminina no mercado influencia cada vez mais na dinâmica dentro de casa. Afinal, quanto mais alto o cargo, maior a responsabilidade, a carga horária e o salário.

Rosângela Casseano é Psicóloga e Coach